Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Lontras marinhas ajudam a combater o escoamento agrícola nocivo

Mäyjo, 15.09.13

Lontras marinhas ajudam a combater o escoamento agrícola nocivo

 

A importância das lontras marinhas para a saúde dos ecossistemas costeiros não pode ser subestimada. Um novo estudo mostra que estes animais podem desempenhar um papel indirecto mas fundamental na ajuda da gestão dos escoamentos agrícolas nocivos ao ambiente.

O estudo realizado pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, publicado em Agosto, mostra que, ao comerem caranguejos, as lontras ajudam as ervas marinhas a crescer, mesmo quando estas enfrentam a poluição.

As plantas rasteiras subaquáticas, detentoras de muitos benefícios ambientais, incluindo servirem de habitat a peixes, consistem geralmente em imensas algas que se alimentam dos nutrientes provenientes da poluição agrícola nas águas. A presença das lontras permite a estas plantas prosperarem porque se alimentam dos caranguejos que, por sua vez, atacam os animais que limpam essas algas. Isto significa que, ao manterem o número de caranguejos baixo, as lontras permitem que as ervas cresçam e controlem a poluição.

Esta é uma boa notícia para espécies como o salmão e o arenque que usam as plantas aquáticas como viveiro, mas também para o planeta de forma geral, uma vez que as ervas ajudam a captar o dióxido de carbono.

Paralelamente, as lontras do mar ajudam também as florestas de algas a florescer ao se alimentarem de ouriços-do-mar. Como foi demonstrado quando as lontras regressaram a Monterey Bay, ao longo da costa central da Califórnia, a espécie mantém o número de ouriços em xeque, permitindo às algas gigantes crescerem e actuarem como abrigo e restaurante para muitas outras espécies marinhas. Estas algas ajudam também igualmente a combater o aquecimento global.

De acordo com um outro estudo anterior que analisou 40 anos de dados sobre as lontras do mar e as algas, desde Vancouver Island à zona ocidental das Aleutian Islands do Alasca, quando estes animais estão por perto, as florestas subaquáticas conseguem absorver 12 vezes mais CO2 do que quando eles não estão lá.

Lamentavelmente, as lontras marinhas continuam ameaçadas de extinção – aqui, o número de espécimes ronda os 2.800. Lembremo-nos de que protegê-las significa proteger muitos outros aspectos vitais dos ecossistemas marinhos.

 

Foto: Sob licença Creative Commons


in: Green Savers